SINDETELCO ASSINA NOVO CONTRATO COLETIVO DA SEGURANÇA PRIVADA

A partir de agora haverá apenas um único contrato coletivo de trabalho que foi assinado por todos os Sindicatos representantes de trabalhadores e pelas duas associações patronais do setor nomeadamente a AES e AESIRF. Neste novo contrato coletivo trabalho ficarão abrangidas todas as empresas do setor, com filiação ou não nas associações patronais atrás referidas.

O Novo Contrato Coletivo de Trabalho entra em vigor a 01 de Outubro de 2017 e a 01 de Janeiro de 2018 para algumas matérias apenas. Caducam assim todos os contratos coletivos de trabalho em vigor anteriores á publicação do novo contrato coletivo, passando as empresas do setor a reger-se pelos trâmites legais do novo acordo.

O SINDETELCO considera que o Novo Contrato Coletivo Trabalho traz melhorias aos trabalhadores do setor.

No decorrer das negociações do novo contrato coletivo de trabalho o SINDETELCO interagiu sempre de bom senso, em defesa dos trabalhadores, tentando criar mais e melhores condições para o setor. Neste sentido esperamos que compreendam o esforço que foi feito para se ter conseguido chegar aos consensos que pudessem garantir mais e melhores condições para os profissionais do setor.

Ver o comunicado na íntegra

Consulte o novo CCT da Segurança Privada aqui

Aos trabalhadores da segurança privada

Comunicado-18---segurançaVigilantes, para que não existam dúvidas, o SINDETELCO informa que foi publicada a portaria de extensão nº95/2015 de 27 de Março referente ao contrato coletivo de trabalho da Segurança Privada.

Com a publicação da actual portaria de extensão, todas as empresas de segurança privada devem proceder á aplicação do CCT celebrado entre a AES (Associação de Empresas de Segurança), e a FETESE (Federação dos Sindicatos da Indústria e Serviços). O CCT em cima mencionado encontra-se publicado no Boletim do Trabalho e Emprego nº 32 do dia 29 de Agosto de 2014 e já está disponível no nosso site em www.sindetelco.pt

Esta portaria de extensão não se aplica aos trabalhadores sindicalizados no STAD / FEPCES , tal como refere o nº3 do artigo 1.º da referida portaria.

O SINDETELCO EXIGE ÁS EMPRESAS DE SEGURANÇA PRIVADA A APLICAÇÃO IMEDIATA DO CCT / FETESE A TODOS OS VIGILANTES QUE SEJAM SEUS SINDICALIZADOS.

Ver o comunicado na íntegra