REVISÃO SALARIAL NA PT PORTUGAL

Como foi anunciado no último comunicado, os Sindicatos representativos dos trabalhadores da PT Portugal, na reunião realizada no passado dia 17, decidiram elaborar a sua proposta de Revisão das Tabelas Salariais e demais matéria de expressão pecuniária, cuja proposta entregue ao Comité Executivo é a que abaixo se transcreve.

Considerando que é prática os efeitos dos aumentos salariais se reportarem a 1 de Janeiro de cada ano, os Sindicatos que constituem a Frente Sindical decidiram apresentar a sua Proposta de Revisão Salarial de 2018 para as Empresas abrangidas pelo ACT.

A Proposta que agora se apresenta abrange as Tabelas Salariais e todas as restantes matérias de expressão pecuniária.
Na elaboração da Proposta agora apresentada, foram factores determinantes:

 

  • O facto de os trabalhadores não terem tido aumentos salariais em 6 dos últimos 7
    anos;
  • Principalmente nos últimos 7 anos, os trabalhadores viram o seu poder de compra
    reduzir muito face ao aumento do custo de vida.

PROPOSTA DE REVISÃO SALARIAL DA PT PORTUGAL PARA O ANO DE 2018

Assim e em função dos factores que fundamentam a nossa Proposta, o seu valor é de 4%
para as tabelas salariais e restantes matérias de expressão pecuniária, sendo que mesmo
assim fica muito aquém do que seria necessário para que os trabalhadores recuperassem o
poder de compra perdido nos últimos 7 anos.

Ler o comunicado na íntegra

Aos trabalhadores da Renova e da Prado

Comunicado-21---graficos-1Apenas o SINDETELCO, através da Fetese, conseguiu manter o Acordo Coletivo da FAPEL desde 2008, que vincula os trabalhadores da fábrica de papel Renova e da Prado, Cartolinas da Lousã. Mas o contrato da FAPEL com o Sindetelco é alargado aos trabalhadores das outras empresas associadas na FAPEL através da Portaria n.º 202/2014, de 03-10; publicado no Boletim do Trabalho e Emprego, n.º 19, de 22 de maio de 2014.

Após a negociação difícil deste ano, a atualização salarial será superior a 0,75% para os trabalhadores da FAPEL a partir de 1 de Junho de 2015. Sendo um aumento curto, cobre ainda assim a inflação prevista para este ano. Também este aumento será alargado aos outros trabalhadores através de portaria publicada brevemente em Boletim de trabalho e emprego.

Ver o comunicado na íntegra

Acordo fechado com a Portucel

Comunicado-14---PORTUCELO Secretariado Nacional do SINDETELCO e a FETESE conseguiram um bom acordo tendo em conta a abrangência de todos os trabalhadores das várias empresas do grupo.

  • Atualização salarial de 1% na tabela e em todas as cláusulas pecuniárias.
  • Fim do limite de 44/ano para trabalho extraordinário em dia de descanso semanal ou feriado.
  • O subsídio de bombeiro é integrado na remuneração base mensal e é extinto.
  • As diuturnidades são integradas na remuneração base mensal e serão extintas.
  • É extinta a fórmula de cálculo da prevenção, passando a ser considerado um valor de remuneração fixo devido á integração das diuturnidades na RB.
  • Retoma dos descansos compensatórios (32h extra = 1 dia de folga) para todas as empresas do GPS.
  • Uniformização do protocolo com as outras empresas do grupo (Headbox; ATF; Arboser; Ema XXI) Ex: Todos os trabalhadores das empresas do Grupo Portucelsoporcel passam a gozar 25 dias de férias.
  • Atualização do pagamento do subsidio de refeição, aumento de 3% a 8%.
  • Passa a ser possível fazer a troca com colegas de 2 e 4 horas de trabalho.

Ver o comunicado na íntegra

STEF PORTUGAL | plenário de trabalhadores – conclusões

1No passado dia 12 de Fevereiro realizaram-se plenários dos trabalhadores na STEF Portugal, patrocinados pelo SINDETELCO onde estiveram presentes Secretários Nacionais e Delegados do SINDETELCO onde foram debatidos e decididos as matérias que a seguir expomos.

Aumentos Salariais

A decisão dos plenários para a apresentação da proposta de aumentos salariais foi a seguinte:

  • Salário mínimo praticado na STEF Portugal – 540€
  • Aumento de 2% com mínimo de 15€
  • Subsídio de frio – 0,50 cêntimos diários
  • Subsídio de alimentação – 0,50 cêntimos diários 

Ver o comunicado na íntegra

aumento salarial para os trabalhadores do Grupo CTT não abrangidos pelo AE CTT 2015

Comunicado-8---ctte-mailAos trabalhadores do Grupo CTT que não são abrangidos pela negociação coletiva informamos que o SINDETELCO, na última ronda negocial do AE CTT 2015, condicionou o seu acordo à exigência de aumentos salariais para estes trabalhadores.

Apresentámos uma proposta e conseguimos como resultado final que a Empresa se disponibilizasse para efetuar aumentos salariais que são de:

  • 1,25% de aumento no vencimento;
  • 11€uros de aumento salarial mínimo;
  • 30 €uros de aumento salarial máximo.

Informamos que quando apresentámos a nossa contra-proposta para o AE CTT 2015 uma das nossas propostas era a integração de todos os trabalhadores do Grupo CTT no AE CTT 2015. A Empresa respondeu que não estavam reunidas condições para que tal fosse possível e recusou a proposta por nós apresentada.

Ver o comunicado na íntegra em pdf

ctt, ponto de situação

Conforme informámos em comunicado anterior a empresa denunciou o AE CTT 2013, apresentando uma proposta negocial que é gravosa e não defende os trabalhadores que no dia-a-dia vestem a camisola da empresa, dando o seu melhor.

O processo negocial já está em andamento, tendo a primeira reunião ocorrido no passado dia 16 de Outubro. Daremos conta do desenrolar das mesmas à medida que o processo for avançando. O SINDETELCO tudo fará para que este seja um AE que proteja os legítimos interesses dos trabalhadores que são o rosto dos lucros que a Empresa vem registando nos últimos anos.

CTT, Ponto de Situação