II CONGRESSO 1985

Realizado nos dias 30 e 31 de Março de 1985, em Lisboa , na sala Petropolis, do Hotel Altis, o 2º Congresso do SINDETELCO foi um marco importante, justificado e decisivo na implantação do Sindicalismo Democrático e Vertical no sector Telecomunicações e Correios e no país em geral.

Os 250 Delegados eleitos, vindos de todo o país ( incluindo Açores e Madeira ) representantes dos nossos associados das empresas do Sector, participaram activa e entusiasticamente no Congresso, contribuindo para que o mesmo tenha atingido os seus objectivos sindicais. Houve duas listas concorrentes aos Delegados ao Congresso tendo a lista A eleito 93 delegados e a lista B eleito 88. Deste modo a constituição do Congresso foi a seguinte:

LISTA ELEITOS POR INERÊNCIA TOTAIS
(Assembeia Eleitoral) (Vindos do I Congresso)
A 93 29 122
B 88 40 128
TOTAIS 181 69 250

Foi alargado o âmbito do Sindicato a todas as Empresas de Telecomunicações e Correios, incluindo Rádio e Televisão, foi igualmente alargado o número de elementos de alguns Órgãos Nacionais do SINDETELCO. O Secretariado Nacional passou a ter 31 membros efectivos e 18 suplentes e o Conselho Geral passou a ser constituído por 55 efectivos e 19 suplentes.

O Congresso foi presidido pelo o Sr. Rui Marques de Carvalho, tendo como Vice presidente a Srª Maria da Graça Resende Pires Ferreira Caldas Fernandes e 1º, 2º, e 3º Secretários, respectivamente, Sr.Antonio da Cunha Caetano; Sr.Bento Caeiro Godinho e Srª Fernanda Maria Ferreira Ribeiro Silveira da Cunha, tendo a seguinte::

ORDEM DE TRABALHOS

1 – Abertura do Congresso e eleição da mesa;
2 – Apresentação das delegações nacionais e internacionais;
3 – Discussão e aprovação do Regimento do Congresso;
4 – Discussão e votação do Relatório do Secretariado Nacional;
5 – Discussão e aprovação das alterações estatutárias;
6 – Discussão e aprovação do programa de acção e caderno reivindicativo para o triénio 1985/88;
7 – Eleição dos orgãos nacionais do SINDETELCO;
8 – Tomada de posse dos orgãos nacionais eleitos;
9 – Sessão de encerramento.

No Congresso foram assumidas duas Tendências Sindicais: – a TSSS – Tendência Sindical Socialista do SINDETELCO; – TSSD – Tendência Sindical Social Democrata e a TSA – Tendência Sindical Autonoma.

O 2º Congresso do SINDETELCO reafirmou claramente a sua filiação na Central Sindical Democrática Portuguesa – a UGT – União Geral de Trabalhadores e na Organização Mundial Democrática dos Trabalhadores de Telecomunicações e Correios – a IPTT – Internacional dos Trabalhadores Correios Telégrafos e Telefones.

Foi aprovada, por maioria com 3 votos contra e 7 abstenções, uma moção sobre a adesão de Portugal a C.E.E. – Comunidade Economica Europeia.

Recebeu-se vãrias saudações de organizações sindicais nacionais e estrangeiras, e estiverão presentes vãrias entidades , que salientamos: – IPTT; UGT; STESDIS; Comité das Mulheres da UGT; DPG; SIMA; UCW; SITESE; SINTETEL- Sao Paulo; SINDEPESCAS; SINDEQ; SITRA; SETAA; SINTAP; Fundação Oliveira Martins; Fundação Nomam e Fundação Friedrich Ebert. Usaram da palavra do Congresso vários oradores de que salientamos o Sr. Jean Michel Aubry, o Eng. João Proênça e a Srª Elisa Damião.

Apesar da salutar divergência de opiniões entre os 250 delegados conseguiu-se uma correcta e oportuna unidade consensual no Congresso. Isso permitiu formar listas únicas concorrentes aos vários Orgãos Nacionais do SINDETELCO, que vieram a obter o apoio expresso de cerca de 91% dos Delegados ao 2º Congresso.

O resultado das votações para os orgãos nacionais, para o triénio 1985/88, foi o seguinte:

Secretariado Nacional Conselho Fiscalizador de Contas Conselho de Disciplina Conselho Geral
SIM 173 180 179 178
NÃO 14 9 8 10
BRANCOS 10 9 9 10
NULOS 7 6 6 5
ABSTENÇÃO 1 0 3 2
TOTAL 205 205 205 205

.